Leituras: Francisco Vale sobre as estrelinhas da crítica

No blog da Relógio d’Água, Francisco Vale assina um texto sobre o método das estrelas, utilizado pela crítica para classificar os livros que lê, sobre o qual vale mesmo a pena reflectir. E se a reflexão conduzir ao extermínio das malditas estrelinhas, só podemos agradecer… Para ler aqui.

3 comments

  1. Não é bem assim, claro que faz sentido um crítico dar 2 estrelas a um livro e outro dar 5, ora essa! Nem percebo a questão…
    A mim parece-me que o post é dirigido a Rogério Casanova por ter atribuido duas estrelas aos Contos Completos I de John Cheever, mas adiante. Pior, para mim como leitor, é chegar ao fim de uma crítica, como me me aconteceu POR MAIS DE UMA VEZ no último número da (no geral muito boa) Revista Ler sem perceber se o crítico tinha ou não gostado do livro! Faz um resumo, duas ou três considerações genéricas e está despachado. Para que serve uma crítica dessas? Não é o caso certamente de Rogério Casanova (e volto a ele), por isso penso que ele, por exemplo, não terá problemas nenhuns em atribuir estrelas…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s