Pensar os e-books

Para além da celebração desvairada das maravilhas tecnológicas, ou da delacção furiosa de um aparelho que quer substituir o papel, será cada vez mais importante pensar sobre os e-books de um modo mais crítico do que festivo ou denunciador. Este artigo de Sam Jordison, no Guardian, é um contributo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s