Excesso de Calvinos

O título deste post não é nada correcto, mas parece que tenho excesso de Calvinos na estante. Não é correcto porque nenhum livro de Italo Calvino está a mais, na minha estante ou no mundo, mas acabo de constatar, ao querer guardar no sítio respectivo o exemplar de Os Amores Difíceis que andava aqui à deriva, que já não tenho espaço para italianos nas prateleiras que lhes atribuí. Perto da crise, das prestações que os chineses nos estão a cobrar não tarda, do aumento dos transportes e de todas as patifarias que nos andam a fazer há uns anos, o tema não parece importante. Mas eu já estou a ver a minha vida a andar para trás enquanto tento perceber a que secção posso roubar espaço que não existe para alojar os italianos sem casa. Talvez devesse seguir o exemplo da funchalense Livraria Esperança e começar a pendurá-los do tecto.

 

4 comments

  1. Ou então seguir a ideia do Bibliotecário de Babel que tem uma oferta de livros agendada para o próximo dia 24.

    🙂

  2. Cara Olinda, o problema não são os livros dos quais consigo separar-me; esses, costumo oferecê-los, há já uns anos, a bibliotecas e escolas. O problema são os outros, aqueles que fazem mesmo parte da minha biblioteca e sem os quais a dita biblioteca se sentiria desfalcada. Esses é que não cabem e desses não me posso afastar.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s