O Eça pela quem?

Apanhei isto no facebook, de fugida, e só agora, com tempo para pôr a leitura em dia, consegui perceber o que se passou. Parece que a Fnac tem (tinha) uma campanha de solidariedade com a AMI onde propõe a troca de livros por vales de desconto para a compra de outros livros. Isto já é esquisito, porque seria mais prático instalar uns caixotes nas lojas e receber os livros que os clientes quisessem oferecer à AMI. Mas o busílis da questão é uma das frases da campanha, onde se propõe a troca de Os Maias, de Eça de Queiroz, por uma daquelas sagas vampirescas com laivos de puritanismo (onde parece que os jovens podem andar a beber o sangue uns dos outros enquanto estoiram os miolos a uns lobisomens, mas não podem, isso é que não, pensar em sexo antes do casamento, nem sequer em beijos molhados). E isto acontece num espaço que quer ser livraria. É preciso dizer muito mais?

A saga da campanha infeliz vem contada no Público, neste texto de Cláudia Carvalho. Entretanto, parece que o sururu no facebook foi de tal ordem que a Fnac decidiu alterar a campanha. Espero que, agora, não proponha que a gente queira trocar o Dostoievski pela Sveva Casati Modignani, ou mesmo os livros por uma toadinha da moda.

One comment

  1. Quando lá trabalhei houve uma campanha muito infeliz que oferecia livros a crianças que necessitavam mas tinhas de os comprar na loja, nem a loja oferecia nem podias trazer de casa. Foi um negócio que só visto mascarado de acção social. Muito triste.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s